Tom Maior

Tom Maior
  • Nome
    G.R.E.S. Tom Maior
  • Fundação
    14/02/1973
  • Posição em 2015
    4º lugar
  • Enredo
    Penso. Logo existo. As interrogações do nosso imaginário na busca do inimaginável
  • Carnavalesco
    André Marins
  • Intéprete
    Bruno Ribas
  • Cores Oficiais
    Vermelho, amarelo e branco
  • Mestre de Bateria
    Mestre Carlão
  • Ordem do desfile
    7ª escola a desfilar na sexta-feira (01)

Sobre a escola

História
A escola de samba Tom Maior nasceu em fevereiro de 1973, mas só foi para a avenida no ano seguinte. A inspiração para o batismo da agremiação veio dos versos de Martinho da Vila, na música que leva o mesmo da escola: “Vai ter de amar a liberdade, só vai cantar em Tom Maior. Vai ter a felicidade de ver um Brasil melhor”. Sem quadra fixa, os ensaios aconteciam nas ruas do Sumaré, como Cristiano Viana, Oscar Freire, Galeno de Almeida, Amália de Noronha, Alves Guimarães, João Moura e adjacências. Com o passar dos anos, a escola teve de enfrentar a resistência de alguns moradores e acabou se afastando do seu bairro de origem. Hoje as atividades da Tom Maior acontecem em um espaço alugado na Bom Retiro. A escola desfilou pelo principal grupo do carnaval em 1977 e 1978. Depois disso, a agremiação só reencontrou o Grupo Especial novamente em 1996. Após um período entre acesso e rebaixamento, a Tom Maior voltou à elite em 2005, onde permanece até hoje. Em 2011, a agremiação ficou na nona colocação, com 267,75 pontos. A escola, que tinha sido rebaixada em 2015, foi vice-campeã do Grupo de Acesso em 2016 com o enredo "Travessias de Milton Nascimento. Todo artista tem de ir aonde o povo está" e retornou ao Grupo Especial.

É coisa de pele, além da razão

É impossível viver sem meu pavilhão

O meu coração disparou

Em Tom Maior, meu grande amor


De onde vim? Pra onde vou?

Eis o mistério a resolver

O amanhã, não sei, o que será

Quem irá me responder?

Sempre em transformação

É a teoria da evolução

Do fruto proibido, o paraíso perdido

Seguindo com fé, é Deus quem me guia

Na crença ou na mitologia

Vai resplandecer a luz que existe em você


Destino traçado na palma da mão

Nas cartas do tarot, mais uma previsão

O brilho da Lua a noite revela

Tem sorte quem nasce virado pra ela


Se querer é poder, eu vou criar

Buscar na ciência, superar

Uma alquimia! E quem diria

No azul do céu voar

Se tudo é relativo no meu carnaval

O sonho hoje é muito mais real

Será que nesse mundo estou sozinho?

Depois do fim, qual o caminho?

Segredos da imaginação

Mas se um dia alguém vier me perguntar

Vermelho e amarelo é o meu DNA

Eu quero ver quem vai segurar

Pâmella Gomes

Últimas Notícias