Acadêmicos do Tatuapé

Acadêmicos do Tatuapé
  • Nome
    GRES Acadêmicos do Tatuapé
  • Fundação
    26/10/1952
  • Posição em 2015
    Campeã do Grupo Especial
  • Enredo
    Bravos Guerreiros. Por Deus, pela honra, pela justiça e pelos que precisam de nós
  • Carnavalesco
    Wagner Santos
  • Intéprete
    Celsinho Mody
  • Cores Oficiais
    Azul e branco
  • Mestre de Bateria
    Mestre Higor
  • Ordem do desfile
    5ª escola a desfilar na sexta-feira (01)

Sobre a escola

História
Apesar de ser um dos grêmios mais antigos do carnaval paulistano, a agremiação se manteve poucas vezes no Grupo Especial. Mesmo assim, conquistou o terceiro lugar entre a elite do samba por dois anos (1969 e 1970). Quando foi fundada, em outubro de 1952, a escola foi batizada de Unidos de Vila Santa Isabel e batizada pela verde e branco carioca Império Serrano. Doze anos mais tarde, com a mudança da quadra para a Rua Antônio de Barros, uma das principais do bairro, veio o nome de Acadêmicos do Tatuapé. Na década de 1980, a entidade começou um declínio que só teve fim com a paralisação das atividades. Após três anos sem ir para a avenida, a escola volta a se reerguer em 1991. Para comemorar os 60 anos de história, a Tatuapé homenageou em 2012 a sambista Leci Brandão. Como resultado, a entidade conquistou o vice-campeonato do Grupo de Acesso e garantiu o retorno ao Especial, onde não pisava desde 2006. Depois de ocupar a colocação de 12ª colocada em 2015, um salto enorme foi registrado na história da escola: do décimo segundo lugar na lista final de apuração, a Tatuapé foi vice-campeã no Carnaval 2016, com 269,1 pontos. Em 2017 e 2018 a escola foi campeã do Grupo Especial do carnaval de São Paulo.

Eu andarei 
Protegido com as armas de Jorge
No altar do samba
sob o clarão do luar… ô luar
Coragem pra cumprir minha missão
Em nome da fé acreditar
Na força que emana da alma do povo…
Lutando se escreve a história
Honra… Batalhas e glórias
Axé meus Orixás… herança dos ancestrais

BADE IÁ BABÁ...OKÂN RALOKO
BADE IÁ BABÁ...UM CANTO DE AMOR
OGUNHÊ...OBÁ XIRÊ...OYÁ
OKE ARÔ...KAÔ KAÔ

Do céu a mensagem de paz
Diz que o sonho não tem fronteiras
É amar e amar sem pensar
Fazer o bem a cada manhã
Um mundo melhor pra se viver
E não perder a fé (sabe porquê?)
Sou brasileiro…
Vou defender minha nação
Oh Pátria amada idolatrada não chores em vão
Sou brasileiro…
Sou sambista sim senhor… ôôôô
De tantos carnavais …
Bambas imortais … Respeite por favor

Tá no corpo e na alma… Corre na veia
Sangue azul e branco que me faz delirar
Tatuapé …A escola da emoção
Bravos guerreiros num só coração

Andréa Capitulino

Últimas Notícias