Tamanho do texto

Em entrevista ao iG Gente, beldade falou sobre a preparação para o carnaval, experiência na agremiação, protesto sobre fantasia e mais

Faltando menos de um mês para o carnaval, a rotina de Gil Jung, destaque da Mocidade Independente de Padre Miguel, está a todo vapor: “estou focada na dieta, nos treinos e nos compromissos…enfim estou nessa loucura de ponte aérea Rio-São Paulo”.

Leia também: Sereia! Gil Jung aparece sensual em ensaio temático 

Gil Jung é destaque na Mocidade Independente
Reprodução Instagram
Gil Jung é destaque na Mocidade Independente

Lidando de seu próprio jeito com o agito dos compromissos comerciais, Gil Jung demonstra determinação com tom bem humorado: “por mais difícil que seja a adaptação, a gente dá um jeito, fica sem comer e assim vamos fazendo”.

Leia também: Após novela na Globo, Gil Jung quer continuar "levando humor às pessoas"

Gil Jung dançando no ensaio técnico
Crédito Rafael Antonio
Gil Jung dançando no ensaio técnico

Em seu terceiro ano desfilando pela Mocidade de Padre Miguel , a comunicadora demonstra animação e lealdade. “Fico feliz de representar as cores da escola”. Sobre a possibilidade de uma dupla jornada no carnaval , Gil se mostra fiel a agremiação que desfilará em 2019. “Eu era Rainha do Tatuapé, mas não frequentava a escola. Este ano resolvi me comprometer com uma (escola) só”.

Sobre a experiência de estar mais presente na confraria, ela disserta: “Eu tenho entrado na comunidade, conhecendo quem faz parte dela… tenho estado bem presente na quadra e nos ensaios técnicos”.

Comparando sua experiência na escola de samba paulistana, Nenê de Vila Matilde, com a Mocidade, Jung se vê em uma experiência positiva: “Na Nenê era mais competitivo, muita rivalidade, aqui não têm muito isso, me sinto em uma gincana”.

Carnaval ecológico

Gil Jung usando sua fantasia no ensaio técnico do último domingo (10)
Crédito Rafael Antonio
Gil Jung usando sua fantasia no ensaio técnico do último domingo (10)

Antes da divulgação de sua fantasia, que aconteceu na última segunda-feira (11), Gil foi questionada sobre a onda de famosos, como Fernanda Paes Leme e Luisa Mell,  que vem se manifestando contra o uso de penas de pavão em fantasias carnavalescas.

“Quando desfilei na Tatuapé (2014) eu já havia aderido este movimento. A última vez que desfilei com a Nenê de Vila Matilde (2017) saí com 600 penas, foi muito pesado. Acho legal essa manifestação, afinal, podemos substituir as penas por tantas outras coisas”.

Sem saber qualquer detalhe sobre sua fantasia, a comunicadora foi questionada se o traje tivesse penas de pavão. Sobre esse paradoxo, ela isentou a si mesma: “Aí tudo bem, né? Sendo eu ou outra pessoa, a fantasia terá de ser usada. A culpa não é minha”.

Gil Jung, o destaque da Mocidade de Padre Miguel

Gil Jung usando sua fantasia no ensaio técnico no último domingo (10)
Crédito Rafael Antonio
Gil Jung usando sua fantasia no ensaio técnico no último domingo (10)

Escalada para ser um destaque de carro alegórico, Gil também fez mistério sobre qual ala pertence, porém, falou da experiência de desfilar em um ponto alto (literalmente) da folia.

“A emoção de desfilar na Sapucaí naquela altura é incrível. Eu vejo a Sapucaí de uma altura que ninguém vê. É difícil falar o que é mais emocionante”.

Leia também: Gil Jung protagoniza ensaio sexy de ano novo e revela o que espera de 2019

Este ano, a Mocidade Independente de Padre Miguel têm como tema “O Tempo”. Com intenção de falar sobre oportunidades perdidas, viver o momento e aproveitar cada segundo como se fosse o último, Gil Jung tira uma grande lição da música que embalará a escola de samba na Sapucaí: “A gente vai muito forte com esse samba-enredo”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.