Rainha de bateria da Unidos da Tijuca, Juliana Alves tem um grande currículo no carnaval, mas foi na escola da Zona Oeste do Rio que ela fez história

Uma das mais renomadas rainhas de bateria do carnaval, Juliana Alves está a caminho de seu 5º desfile pela Unidos da Tijuca . Atualmente, ela é Dora na novela das 18h da Rede Globo , " Sol Nascente ", e por isso é difiícil conciliar os compromissos com a escola, a vida pessoal e profissional, o que não impede a atriz de ser uma rainha presente.

Leia mais: Juliana Alves desabafa após sofrer ataques racistas nas redes sociais

Juliana Alves em fotos exclusivas ao iG
Faya
Juliana Alves em fotos exclusivas ao iG

A Tijuca foi a primeira escola que Juliana Alves desfilou, em 2001, mas apesar de morar no bairro, ficou um bom tempo sem desfilar por lá. Em entrevista exclusiva ao iG , a rainha conta que voltou a frequentar o barracão em 2012 para em 2013 ser coroada.

E o histórico do carnaval dela não para por aí. Entre rainha e composição de carro, a atriz passou pela Unidos de Vila Isabel , Salgueiro e Império da Tijuca , no Rio, e em São Paulo aventurou-se na Barroca da Zona Sul e na  Pérola Negra .

Juliana Alves
Reprodução
Juliana Alves

"Minha relação com a Tijuca é muito boa, sempre foi, porque sou do bairro, mas eu percebo que de três anos para cá, fortaleceu muito", conta, "Não é só questão de carinho. As pessoas lá entendem minha dedicação, o quanto eu priorizo", completa.

Leia mais: Carnaval 2016: famosas se esbaldam no samba em noite de ensaio no Rio de Janeiro

No ano em que a escola conta a história da música americana, a ansiedade não é diferente dos outros carnavais. "Entramos naquela época que a ansiedade é grande e tem muito trabalho a ser feito e uma dedicação maior nos ensaios, a ansiedade é de como se fosse o primeiro ano", conta. Para ela, o que muda é a responsabilidade, que acaba aumentando. "A exigência que tenho comigo mesma é até maior a cada ano que passa".

Carnaval 2017

Juliana Alves é uma rainha pra lá de presente e comprova isso nos ensaios da escola do coração. "Só não vou se estiver doente ou presa no trabalho, mas tenho conseguido frequentar bastante os ensaios de rua da comunidade".  Esses, que acontecem de quinta, são os mais importantes, segundo a rainha. "É escola toda evoluindo pela rua".

Ela confessa que "está bem puxado" para conciliar a loucura do carnaval com as gravações e sua vida particular. "Eu percebi que tem que dar uma fortalecida na saúde também, porque eu acabo dormindo muito tarde e as vezes tenho gravação logo cedo".

A atriz não pode dar muitos detalhes de sua fantasia, mas adianta que é algo bem diferente do que usou em 2016. "É um enredo sobre músicas, então venho muito iluminada, com cores claras", revela ela, que gostou muito do enredo. Além de defender a escola com aquele amor, aquela paixão, também tem uma emoção de homenagear o que faz parte da vida de muitas pessoas, pessoas que não acompanhavam o carnaval e pelo enredo tiveram curiosidade".

Já em relação ao corpo, Juliana não faz nada excepcional. "Eu faço exercícios funcionais em casa mesmo e faço aeróbicos". Ela também procura dar uma segurada nos doces, gorduras e carboidratos na parte da noite. "Mas por instinto, nessa época tenho menos fome".

Os ensaios também são muito importantes para o preparo da rainha, que precisará sustantar e evoluir com um explendor nas costas. "Os ensaios me ajudam a trabalhar o condicionamento físico e a resistência", ressalta.

Leia mais: Famosas caem no samba em final de semana recheado de ensaios para o carnaval

Amor e Paixão

Juliana Alves ajeitando a maquiagem
Reprodução
Juliana Alves ajeitando a maquiagem

Focada totalmente no desfile, Juliana diz que não consegue curtir o carnaval, mas acaba indo em um baile e assistindo o restante dos desfiles, como fará no domingo de carnaval. Para a rainha da Tijuca, não existe rivalidade entre as escolas de samba. "Não é futebol, uma escola torce para a outra". 

Juliana Alves crê que essa seja uma boa vantagem do carnaval carioca e fala sobre o carinho que tem com outras rainhas de bateria. "Existe um carinho, existe uma admiração, um respeito muito grande", conta.  "Cada uma conquistou seu espaço, seu caminho. Admiro como, por exemplo, Viviane Araújo ela foi brava na trajetória dela e conquistou tudo com o carisma dela. Eu procuro ter esse olhar pra todas, meu caminho foi construído do meu jeito e não tem sentido de me comparar, eu sou rainha da Tijuca", pontua.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.