Tradicional feijoada da Dadá completa 18 anos

Evento é um dos mais concorridos no verão baiano antes do Carnaval

Driele Veiga, especial para o iG | 28/02/2011 17:10

Compartilhar:

Foto: Alessandra Lori/Divulgação Ampliar

De dourado, Dadá chegou vestida de Oxum, deusa da fecundidade

Ao som dos cantores Tatau (ex-Araketu) e do É o Tchan, 2.500 pessoas se divertiram no domingo, 27, no Bahia Café Hall, em uma das últimas grandes festas que antecedem a abertura oficial do Carnaval de Salvador, a feijoada vip da Dadá. O evento, que completou 18 anos, é realizado pela quituteira mais famosa da Bahia, Aldaci dos Santos. E para comemorar a maioridade, Dadá homenageou as mães através dos orixás femininos e Oxum - para ela, a grande representante das mulheres.

A quituteira, como de costume, usava roupas que faziam referência ao tema escolhido. De dourado ela representava Oxum, deusa da fecundidade. “Esta festa homenageia a mãe que é esposa, amante e trabalhadeira. É para reafirmar a força e o valor da mulher que vem ganhando cada vez mais espaço no cenário mundial. Prova disso, é que, pela primeira vez, temos uma presidenta no poder”, explicou a anfitriã da festa.

Recebidos por uma banda de sopro e baianas vestidas à caráter, os convidados logo se deparavam com uma marca da cultura baiana: o sincretismo religioso. Todas as pessoas que chegavam tomavam banho de folha e de pipoca para espantar o mau olhado.

No cardápio, além da tradicional feijoada - de feijão preto e de mulatinho também, várias outras iguarias como galinha ao molho pardo, lombo, sarapatel e pernil assado. Foram 1,5 toneladas de carnes, 600 quilos de feijão, 10 mil caldinhos, 10 mil acarajés e cinco mil espetinhos. “Eu vim aproveitar a minha última folguinha antes do Carnaval. Comer a deliciosa feijoada de Dadá e renovar as energias”, disse o cantor Tomate.

Tatau voltou a se apresentar na feijoada – a prmeira vez foi em 2009. “É um prazer voltar a participar dessa festa, que é um dos maiores eventos do verão de Salvador”, contou o cantor, que dividiu palco com os colegas de pagode Flavinho e de axé Tomate. “Dividir palco com Tatau é gratificante. Ele cantando a minha música fortalece ainda mais a canção, que já está na boca do povo”, disse Flavinho, autor da música “É gordinha, mais é gostosa”.

Já o grupo É o Tchan, com nova formação, participou pela primeira vez da festa. Grandes sucessos como “Segura o Tchan” não faltaram. “Voltamos com todo o gás e prova disso é que estamos participando das melhores festas de Salvador. Voltamos para ficar”, disse Compadre Washington, que ficou afastado da banda 10 anos. O grupo desfilará na quinta-feira de Carnaval, 3 de março, no bloco Pagode Total, em Campo Grande. “Pretendemos sair com um trio independente na sexta-feira. Mas ainda não está confirmado”, contou Washington.

 

 

    Últimas notícias do Carnaval


    Ver de novo