Publicidade
Publicidade - Super banner
São Paulo
enhanced by Google

Mocidade Alegre é a campeã do carnaval 2012 em São Paulo

Agremiação do bairro Limão venceu com enredo sobre Jorge Amado; apuração foi marcada por brigas e depredação

iG Carnaval | - Atualizada às

Foto: Cadu Coppini A rainha de bateria Aline de Oliveira, que estreou no posto em 2012

Apesar do tumulto durante a apuração , a Mocidade Alegre sagrou-se campeã do carnaval paulistano em 2012. Este é o oitavo título da agremiação no Grupo Especial de São Paulo. O último campeonato tinha sido em 2009.

Mas o resultado tem um gosto amargo, que não condiz com a alegria do carnaval. Quem acompanhou todos os desfiles pode ter saído com a impressão de que São Paulo fez neste ano um dos melhores carnavais de sua história, marcado pelo equilíbrio entre as agremiações. A vitória da Mocidade não pode ser chamada de injusta. Assim como não seria injusto declarar Rosas de Ouro , Vai-Vai , Mancha Verde , Vila Maria (ou seja lá qual pavilhão) como as campeãs da folia na leitura das notas. Afinal, todas tinham condições de garantir o resultado. Porém, o que se viu foi um anúncio feito na calada da noite, com a frieza dos textos legais, quando a festa na quadra da vitoriosa já estava cancelada e os foliões em suas casas.

VEJA FOTOS DA CONFUSÃO NA MESA DE APURAÇÃO

A leitura das notas foi interrompida quando torcedores e representantes das escolas de samba invadiram o palco da Liga e rasgaram as cédulas de apuração dos jurados. Um carro alegórico que estava na dispersão, inclusive, foi incendiado. "Isso denigre a imagem do carnaval, denigre a imagem da cidade de São Paulo. Eu estou envergonhada", lamentou a presidente da Mocidade, Solange Bichara .

Foto: AE Representantes das escolas de samba invadiram o palco e rasgaram as cédulas de votação

Foto: Reprodução / TV Globo Um carro alegórico da Pérola Negra foi incendiado na confusão

A vitória da escola foi decretada em reunião pelos dirigentes das agremiações. A decisão foi baseada no artigo 29 do regulamento dos desfiles, no primeiro parágrafo. Segundo o texto, na falta de um julgador, será atribuída a maior nota dada por um jurado do quesito. Com a confusão, duas notas de comissão de frente, o último a ser apurado, foram perdidas. A decisão de manter o resultado da apuração, segundo o presidente da Liga, Paulo Sérgio Ferreira , foi votada por sete agremiações, contra cinco contrárias.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO FINAL

  1º - Mocidade Alegre (170 pontos)
  2º - Rosas de Ouro (169,8 pontos)
  3º - Vai-Vai (169,6 pontos)
  4º - Mancha Verde (169,5 pontos)
  5º - Unidos de Vila Maria (169,5 pontos)
  6º - Acadêmicos do Tucuruvi (169,4 pontos)
  7º - Tom Maior (169,3 pontos)
  8º - Dragões da Real (169,3 pontos)
  9º - Gaviões da Fiel (169,2 pontos)
10º - X-9 Paulistana (169,1 pontos)
11º - Império da Casa Verde (168,8 pontos)
12º - Águia de Ouro (168,5 pontos)
13º - Pérola Negra (168,1 pontos)
14º - Camisa Verde e Branco (166,2 pontos) 

VEJA O DESFILE DA MOCIDADE ALEGRE EM FOTOS

VEJA FOTOS E VOTE NA MUSA MAIS OUSADA DO CARNAVAL DE SÃO PAULO

FAMOSAS E MUSAS MOSTRAM SEIOS E BUMBUNS PERFEITOS NO ANHEMBI. VEJA AQUI!

ACABOU A PILHA? FAMOSOS MOSTRAM DESÂNIMO NA AVENIDA. VEJA FOTOS!

Com o resultado, a Pérola Negra , que homenageou a cidade de Itanhaém, e a Camisa Verde e Branco , que voltou ao Especial neste ano, foram rebaixadas. Nenê de Vila Matilde e Acadêmicos do Tatuapé foram as campeãs do Acesso e voltam à elite em 2013.

O desfile da Mocidade surpreendeu com o enredo “Ojuobá - No Céu, os Olhos do Rei... Na Terra, a Morada dos Milagres... No Coração, Um Obá Muito Amado!”.

A letra homenageava o escritor baiano Jorge Amado e o livro "Tenda dos Milagres", que trata da repressão da elite branca aos rituais religiosos dos negros.

O carnavalesco Sidnei França levou à avenida o sincretismo religioso e a representação dos orixás abusando de cores vivas, o que já é marca da agremiação. Conquistou o campeonato após ficar na 7ª colocação no carnaval de 2011.

Foto: Agência Estado Bateria da Mocidade Alegre fazendo homenagem à Xangô, orixá da Justiça

Foto: AE Aline de Oliveira é elevada acima da bateria para tocar surdo de terceira, instrumento que dá um 'balanço' a mais no ritmo do samba

A escola desfilou no domingo (19) e foi a terceira a entrar no Anhembi. A bateria Ritmo Puro, do Mestre Sombra, levantou a avenida.

Segura de sua harmonia, a agremiação do Limão parou totalmente o som e deixou a música por conta dos componentes e das arquibancadas, semelhante ao que fez em 2011.

Um dos pontos fortes foi a rainha Aline de Oliveira , que veio à frente da bateria tocando surdo de terceira, instrumento que dá um "balanço" à marcação –isso só foi possível porque a passista já havia desfilado dois anos com os ritmistas, antes de virar destaque da agremiação.

VEJA TODAS AS FOTOS DA RAINHA DE BATERIA ALINE DE OLIVEIRA

Leia mais: Aline de Oliveira: “O samba foi tomando conta de mim”

O abre-alas mostrou a evocação a Xangô, o orixá da justiça, uma representação contra a elite branca baiana que reprimia os rituais religiosos dos negros.

Foto: Futura Press Integrante da escola de samba Mocidade Alegre caracterizado para desfile no Anhembi

A ala das baianas pintou a avenida de duas cores, dourado e prata, representando a procissão de Nossa Senhora da Conceição e a lavagem da escadaria da igreja de Nosso Senhor do Bonfim.

Fechando o desfile, Jorge Amado foi coroado um Obá de Xangô, título honorário aos defensores do terreiro, por uma enorme Mãe Senhora vestida de baiana.  

VEJA A COBERTURA COMPLETA DO CARNAVAL DE SÃO PAULO NO iG
Foto: AE/Sérgio Castro Aline de Oliveira tocou surdo de terceira em uma plataforma elevada durante o desfile da Mocidade

Foto: Agência Estado Carro alegórico da Mocidade Alegre, campeã do carnaval de São Paulo em 2012

Leia tudo sobre: carnavalcarnaval são paulomocidade alegre

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG