Quinta escola da última noite do Grupo Espcial, Vai-Vai falou sobre o Candomblé e teve nomes de peso na apresentação como o de Raíssa Santana

Na mesma linha das escolas que optaram por falar de religião no carnaval de 2017, a Vai-Vai fez uma homenagem à Mãe Menininha do Gantois, uma das maiores divulgadoras do Candomblé no Brasil, crença de origem africana. Honrando orixás e toda a fé que envolve a religião, o enredo "No xirê do Anhembi, a Oxum mais bonita surgiu - Menininha, mãe da Bahia - Ialorixá do Brasil" balançou a estrutura do Sambódromo do Anhembi, em São Paulo , na madrugada de domingo (26).

Leia também: Império de Casa Verde canta a paz e pinta como favorita ao bicampeonato em SP

Vai-Vai foi a quinta escola a desfilar na última noite do Grupo Especial do carnaval de São Paulo
Reprodução/TV Globo
Vai-Vai foi a quinta escola a desfilar na última noite do Grupo Especial do carnaval de São Paulo

O desfile da Vai-Vai , assinado pelos carnavalescos Alexandre Louzada, Jr. Chall e André Marins, foi aberto com um discurso emocionante de Milton Gonçalves grande carro abre-alas, que juntamente com a ala das baianas, representou as "Mães da Terra". A comissão de frente mostrou o presente dos céus que a Bahia ganhou. Homenageada, a Mãe-Menininha do Gantois é conhecida também como a missionária da paz e da verdade, e morreu há 30 anos, em Salvador.

Leia também: Inspirada no clássico 'Asa Branca', Dragões da Real faz homenagem ao Nordeste

Miss Brasil 2016, Raíssa Santana desfilou na primeira base do carro abre-alas da escola do bairro do Bixiga, que representou a criação do universo. Quem também chamou atenção foi Camila Silva, rainha de bateria da agremiação. Outra personalidade que participou do desfile foi o ex-jogador de futebol e pentacampeão mundial com a seleção brasileira na Copa de 2002, Cafu. Além dele, o vocalista do grupo Pixote, Dodô, também saiu pela maior campeã do carnaval paulistano.

Os destaques

A segunda alegoria representou o rei das florestas, Oxóssi, também conhecido como deus caçador e senhor da floresta e de todos os seres que nela habitam. Outra alegoria falou sobre Iansã, deusa guerreira dos raios e tempestades. Logo em seguida, outro carro denominado "O Rei da Justiça e a Rainha do Amor", onde o leão representa Xangô. 

O último carro alegórico da escola, que representava a casa de Candomblé de Maria Escolástica da Conceição Nazaré, a Mãe Menininha, considerada filha de Oxum, orixá das águas e dos rios, chamou atenção por jorrar muita água. Por este motivo, porém, a Nenê de Vila Matilde negou-se a desfilar na sequência alegando que a pista estava escorregadia e foi feita uma ação inesperada para secar o local.

Musa da Vai-Vai arrasa no Anhembi
Paulo Pinto / LIGASP / Fotos Públicas
Musa da Vai-Vai arrasa no Anhembi

A Vai-Vai contou com 25 alas, cinco alegorias, quatro carros e 3.000 componentes e terminou o desfile no Anhembi em busca do 16º título do Grupo Especial em 1 hora e cinco minutos, isto é, no limite permitido pelo regulamento do carnaval paulista. Em 2016, a escola terminou na quarta posição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.