Escolhendo contar sobre a fé, o amor e a música que dominam Salvador, a Unidos do Peruche desfilou na avenida na segunda noite do carnaval paulista

Segunda escola de samba a desfilar no Anhembi na noite deste sábado (25), a agremiação Unidos do Peruche homenageou, em São Paulo, uma cidade que está a mais de dois mil quilômetros de distância da capital paulista. Unir o carnaval de Salvador ao de São Paulo, porém, não foi fácil.

Leia mais: Jéssica Amaral, musa da Peruche, promete "causar" e vê nudez com naturalidade

Unidos do Peruche entrou na avenida com susto e 'pombas brancas'
Reprodução/TV Globo
Unidos do Peruche entrou na avenida com susto e 'pombas brancas'



Honrando a história da capital baiana, a Peruche exaltou um dos ritmos mais famosos da Bahia com o enredo "A Peruche no maior axé, exalta Salvador, cidade da Bahia, caldeirão de raças, cultura, fé e alegria".

Com composição de D'Xangô, Douglas Chocolate, Leo Reis, Juliano, Celsinho Mody, Guga Pacheco, Tio Do, Paulinho Sorriso e Marcio Zanato, o enredo da Unidos do Peruche também exigiu muita atenção por parte do carnavalesco Murilo Lobo, que assinou o desfile.

Além de contar com um time e tanto de foliões e musas , a escola fez jus ao tema e, na expectativa de conseguir um resultado melhor que no ano passado, a agremiação contou, ainda, com a jovem beldade Stephanye Cristine, de apenas 18 anos, que abrilhantou um pouco mais a bateria da escola.

Com perrengues, mas sem atrasos

Apesar do sufoco, desfile da Peruche foi digno de boas notas dos jurados e agradou o público
Robson Fernandjes/LIGASP
Apesar do sufoco, desfile da Peruche foi digno de boas notas dos jurados e agradou o público

A festa foi digna de boas notas, mas trazer Salvador para São Paulo exigiu muito suor.

Logo no início do desfile, os integrantes da escola passaram por um sufoco que fez parar o coração de toda a torcida da escola: o carro abre-alas não queria andar.

Após alguns preciosos segundos, o problema foi resolvido e o carro – que era gigantesco – entrou na avenida dando início à festa que celebrou Salvador.

Enquanto parte dos integrantes suavam empurrando o abre-alas, a comissão de frente da escola lembrou baianos famosos como Dorival Caymmi, Caetano Veloso e Raul Seixas. Na encenação, a história de amor que deu origem à história de Salvador foi contada com maestria.

Integrantes da escola tiveram problemas ao empurrar dois dos carros alegóricos que entraram na avenida
Reprodução/TV Globo
Integrantes da escola tiveram problemas ao empurrar dois dos carros alegóricos que entraram na avenida

Outro destaque do início do desfile foi a entrada do carro abre-alas no Anhembi. Quando ele, enfim, entrou na avenida, surpreendeu o público com balões brancos em formato de pombas da paz, que preencheram parte do céu paulistano.

Leia mais:  Conheça as musas que vão embelezar o desfile da Unidos do Peruche

O entrave com o abre-alas foi um dos dois problemas com carros que a Unidos do Peruche enfrentou durante o desfile. No entanto, mesmo com esses imprevistos, a escola terminou sua passagem pela avenida com 62 minutos, três a menos que o tempo máximo permitido.