Escola desfilou apoiada em um enredo que brinca com os limites do homem e da criatividade

Buscando repetir o título do ano passado, a Mocidade Alegre entrou no sambódromo do Anhembi por volta da 1h de domingo (10). Cheio de serpentes, o abre-alas da escola deu início ao enredo que falava de sedução e pecado, referência ao lado bom e ao lado mau do ser humano.

Saiba tudo sobre o Carnaval de São Paulo

Com uma fantasia preta ornada com pedrarias, a rainha da bateria Aline de Oliveira se destacou à frente dos ritmistas da escola, que levaram com empolgação o enredo “A Sedução Me Fez Provar, Me Entregar à Tentação... Da Versão Original, Qual será o final?”.

Exclusivo: Ensaio do iG com Aline de Oliveira

Se o primeiro carro falava do pecado, o segundo trazia o céu, oferecendo uma redenção para os pecadores. Com efeitos de luz, a alegoria toda branca tinha um estilo futurista.

Na evolução do desfile, a escola mostrou ousadia ao trazer para a avenida personagens de ficção representando o bem e o mal. Do lado escuro estavam os zumbis dos contos de terror e o personagem Frankenstein. Chapeuzinho Vermelho apareceu em versão periguete e sem o menor medo do Lobo Mau. Branca de Neve veio má, cozinhando os sete anões em um imenso caldeirão fumegante.

Relembre: Mocidade Alegre ganha o carnaval 2012

O vídeo clipe de “Thriller”, de Michael Jackson , foi lembrado em uma ala coreografada, que trazia seus integrantes como mortos-vivos. Por fim, o carro “Apocalipse da Alegria, Um mundo sem ponto final” fechou o desfile mostrando que a vida é melhor quando levada com alegria.

Veja o samba-enredo da Mocidade Alegre:

“A Sedução Me Fez Provar, Me Entregar à Tentação... Da Versão Original, Qual será o final?”
Compositores: André Ricardo, Bruno Ribas, Fernando, Renato Guerra, Rodrigo Minuetto e Vitor Gabriel

Vou seduzir seu coração
Com muito orgulho, sou Mocidade
Nosso final feliz depende de você
Fazer o sonho acontecer
Amor, vem viajar na fantasia
E encontrar o poder da sedução
Se entregar à tentação
O fruto proibido provar e sentir o prazer
Sem culpa, sem medo, pecar
Beleza, riqueza no olhar
Emana a luz da razão
O caminho da redenção
E assim, o reino dos céus alcançar
Quando o vento soprar, eu vou voar
E te encontrar nessa imensidão
Brincar de Deus, ser feliz, sonhar
Não há limites para a imaginação
Em versos a mais linda história
Romances e contos nos fazem sonhar
E se o vilão é o herói afinal?
E se o sonho se torna real?
Você é quem diz...
Para sempre, quem será feliz
Desperta toda magia do artista,
O futuro do sambista
Um amanhã de amor e paz!
Morada, é a paixão que nos conduz
Com força e união, com garra e emoção
Num mundo sem ponto final

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.