Homenagem aos artistas Beth Carvalho e Mario Lago marcaram a estreia da edição 2013 da folia paulistana

O primeiro dia de desfiles de São Paulo foi marcado pela homenagem a artistas famosos, que foram temas de três escolas que passaram pelo Sambódromo do Anhembi. As outras quatro tiveram temas diversos como os dragões, o vinho, a diversidade cultural de São Paulo e o próprio carnaval.

Primeira a desfilar, a Acadêmicos do Tatuapé emocionou a passarela do samba com uma bonita homenagem à cantora Beth Carvalho. O desfile começou com uma comissão de frente formada por Zé Carioca, o personagem de Walt Disney que seria a "personificação" da essência do carioca da gema. Um dos carros mais significativos representava a Mangueira, escola do coração da sambista.

Veja mais : Com Dani Sperle, Acadêmicos do Tatuapé homenageia Beth Carvalho na avenida

A segunda a pisar na avenida foi a Rosas de Ouro, que homenageou o próprio carnaval na sua passagem pelo Anhembi. Promovendo uma verdadeira viagem pelas diversas formas de comemorar a festa ao redor do mundo, a agremiação passou por países como Inglaterra, México e Tailândia, sem esquecer o Brasil, é claro. Ellen Rocche , um dos trunfos da escola paulistana, mais uma vez brilhou como a rainha de bateria.

Veja mais: Com Ellen Rocche, Rosas de Ouro exalta a alegria do carnaval no Anhembi

Mais uma homenagem a um artista marcou o terceiro desfile, da Mancha Verde, que aconteceu já na madrugada de sábado (09). A vida do ator, compositor e escritor Mario Lago foi apresentada ao público do Anhembi. Sua famosa boemia e a carreira no teatro e na música foram destaques. O trabalho dele na TV fechou o desfile, com um carro que falava das novelas “Barriga de Aluguel” e “Dancin' Days”.

Veja mais : Veterana, Vivianne Araújo mostra todo seu amor pela camisa alviverde

Puxada pelo brilho de Ana Hickmann, a tradicionalíssima Vai-Vai foi a quarta agremiação a mostrar o seu carnaval no Anhembi. A importância do vinho na história foi o tema do desfile. Sem medo de desagradar os tradicionalistas, a escola alvinegra apresentou seu carro abre-alas em tons de verde. Já a comissão de frente, encenava a transformação da água e vinho, lembrando a famosa passagem da Bíblia

Veja mais: Com o brilho de Ana Hickmann, Vai-Vai relembra a história do vinho

Tentando o seu terceiro título, a X-9 Paulistana continuou o desfile com uma celebração da diversidade cultural de São Paulo. A agremiação mostrou como povos de diferentes origens convivem em harmonia na capital paulista. O samba-enredo “Se pra ter diversidade basta viver em harmonia, sorria...Pois São Paulo hoje é só alegria!” contagiou a avenida, puxado pelo cantor Royce do Cavaco.

Veja mais : X-9 Paulistana homenageia diversidade cultural de SP

Penúltima escola a desfilar, a Dragões da Real veio para o Anhembi para homenagear o seu símbolo, o dragão. A presença do mítico animal na história foi lembrada em carros suntuosos. O abre-alas impressionou com a representação de um castelo medieval.

Veja mais: Dragões da Real é a 6ª escola a desfilar no Anhembi

O dia estava claro quando a última escola, a Águia de Ouro, entrou na pista. A escola fez uma homenagem emocionante ao sambista João Nogueira. O filho dele, o cantor Diogo Nogueira, sambou animado no último carro do desfile. A paixões do sambista, como o clube Flamengo e a escola Portela foram representados em carros alegóricos e em alas de fantasias.

Veja mais : Águia de Ouro traz Milena Nogueira no lugar de Valesca Popozuda

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.