Comande você mesmo a bateria de uma escola de samba

O iG reuniu alguns dos melhores ritmistas da Grande Rio e, com mestre Ciça, criou infográfico que mostra como funciona a bateria da escola

iG Rio de Janeiro


Foi assim: na rua Barata Ribeiro, em Copacabana, na zona sul do Rio, um time de ritmistas chegou ao imóvel de número 181 vestindo a camisa da Grande Rio e tendo às mãos todos os tipos de instrumentos usados por uma bateria de escola de samba.

Sob o comando do mestre Ciça, Tuca levava seu chocalho, Formigão tinha o surdo de primeira, Júnior Baiano carregava o repique, Bigú da 15 transportava a caixa, Fabiano levava seu tamborim e Bruno tinha outra caixa. Também eram transportados agogô, atabaque, cuíca, surdo de resposta e outros instrumentos.

O grupo passou cerca de cinco horas em um dos estúdios da “Cia. dos Técnicos”, que funciona dentro de uma galeria e até 2009 foi o palco da gravação dos sambas-enredo que embalam a Sapucaí - em 2010 o registro passou a ser feito na Cidade do Samba, ainda sob os cuidados da companhia.

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE CARNAVAL NO ESPECIAL DO IG

No estúdio, cada instrumento foi gravado separadamente, no ritmo do samba-enredo de 2011 da Grande Rio, para permitir que o internauta conheça o som da bateria, considerada o coração de qualquer escola de samba.

O engenheiro Mário Jorge Bruno, responsável pela gravação dos discos de samba-enredo desde a década de 1980, comandou os equipamentos de som. Quem também participou foi a equipe de infografistas do iG, que ao longo das semanas seguintes preparou esse instrutivo infográfico, que ganhou medalha de prata no prêmio internacional Malofiej. O resultado desse esforço agora está à sua disposição. Divirta-se!

Integrantes da bateria da Grande Rio no estúdio. Foto: Isabela KassowDetalhe da mesa de som. Foto: Isabela KassowPublicidadeGravação do som da caixa e da cuíca. Foto: Isabela KassowJefferson Dantas, um dos integrantes da bateria da Grande Rio. Foto: Isabela KassowMestre Ciça mostrou o som de cada instrumento. Foto: Isabela KassowJefferson Dantas integra a bateria desde os 13 anos. Foto: Isabela KassowA gravação demorou mais de cinco horas.... Foto: Isabela KassowTamborim, um dos instrumentos essenciais a uma bateria. Foto: Isabela KassowGravação do som do atabaque. Foto: Isabela KassowMestre Ciça posiciona o surdo de 1ª. Foto: Isabela KassowMestre Ciça comando os instrumentos com gestos. Foto: Isabela KassowEle é diretor de bateria desde 1988. Foto: Isabela KassowCiça está no comando da bateria nota 10 da Grande Rio desde o carnaval passado. Foto: Isabela KassowA bateria da Grande Rio também é conhecida como a "Invocada de Caxias". Foto: Isabela KassowDetalhe da caixa. Foto: Isabela KassowDetalhe do repique. Foto: Isabela KassowDetalhe do tamborim. Foto: Isabela KassowDetalhe do chocalho. Foto: Isabela KassowDetalhe do agogô. Foto: Isabela KassowDetalhe da cuíca. Foto: Isabela Kassow



  

Conheça os ritmistas: 

Moacir da Silva Pinto, o Mestre Ciça, tem 56 anos de vida e 40 de carnaval. É diretor de bateria desde 1988, quando assumiu a função na Estácio de Sá. Passou também por Unidos da Tijuca e Viradouro e está na Grande Rio desde 2010.

Janaíne Conceição Pereira da Silva, a Tuca, 28 anos, é neta de integrante da Acadêmicos da Rocinha. Interessada por música, ingressou na banda da escola e hoje é secretária da bateria da Grande Rio, onde toca chocalho.

Jefferson Dantas, o Júnior Baiano, 24 anos, integra a bateria da Grande Rio desde os 13 anos. Um primo foi diretor de bateria. Atualmente toca repique e dá aulas de percussão na Grande Rio.

Bruno Gentil, o Formigão, 25 anos, ganhou o apelido em 2000, quando desfilou na ala das crianças da Grande Rio com uma fantasia de formiga. Hoje toca surdo de terceira e é coordenador desse intrumento na escola de Caxias.

Alexsandro Silva, o Bigú da 15, 25 anos, é auxiliar de rampa no aeroporto do Galeão e aprendeu a gostar de samba com o irmão e um primo, que eram ritmistas. Hoje, Bigú toca surdo de terceira na bateria da Grande Rio.

Bruno Ricardo Domingues, 33 anos, toca em bateria de escola de samba desde os 15 anos, quando estreou na São Clemente. Aos 21 passou a integrar a Grande Rio, onde toca caixa.

Fabiano de Almeida Costa, 23 anos, estreou no carnaval aos 13 anos. Hoje toca tamborim na Grande Rio.

Mário Jorge Bruno é engenheiro de gravação e sócio-gerente da Cia. dos Técnicos. Junto com Laila, integrante da Comissão de Carnaval da Beija-Flor, Bruno é produtor do disco de sambas-enredo do carnaval carioca. 

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG