Desfile ia bem até que o último carro perdeu o controle e machucou pelo menos oito pessoas; cores vibrantes e misturas absurdas marcaram a festa

Mesmo sob uma chuvinha chata, a Paraíso do Tuiuti não deixou a desejar, neste domingo (26) e agitou a Sapucaí com muita cor e energia, abrindo a primeira noite de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Tudo ia bem até o último carro. Um acidente com a última alegoria prejudicou o andamento do desfile, além de deixar oito pessoas feridas. 

Leia também: Grande Rio é um dos destaques deste domingo de carnaval

Carro que homenageava a cantora Cármen Miranda, o último da escola, protagonizou o acidente desta noite
Divulgação/Riotur
Carro que homenageava a cantora Cármen Miranda, o último da escola, protagonizou o acidente desta noite




Antes disso, com um enredo baseado no Tropicalismo, a agremiação estreou no Grupo Especial neste domingo e fez por merecer o seu lugar. Trazendo diversas referências culturais, a Paraíso do Tuiuti trouxe intelectualismo à Sapucaí.

O desfile uniu os conceitos de antropofagia e tropicália. Começou com um chamado "caosnarval", apresentando a fauna e a flora brasileira em uma mistura absurda e uma comissão de frente com índios, tudo em meio a cores chamativas e vibrantes.

A comisssão de frente da Paraíso do Tuiuti apresentou índios e uma coreografia bastante dançante
Divulgação/Riotur
A comisssão de frente da Paraíso do Tuiuti apresentou índios e uma coreografia bastante dançante

Fiel ao conceito que originou o enredo, a escola misturou referências célebres com trechos e citações de Oswald de Andrade e Caetano Veloso, mostrando que as ideias criadas no passado ainda formam a identidade nacional do Brasil.

O enredo  começou com o descobrimento do Brasil e rapidamente chegou ao presente, citando marcos dessa história de mistura cultural, como o personagem Macunaíma.

Cores vibrantes foram destaque do desfile da Paraíso do Tuiuti na noite deste domingo
Divulgação/Riotur
Cores vibrantes foram destaque do desfile da Paraíso do Tuiuti na noite deste domingo

A escola Paraíso do Tuiuti entrou na avenida com 3100 componentes sob o comando do diretor Leandro Azevedo. A bateria foi puxada pelo mestre Ricardinho, com Carol Marins no posto de rainha de bateria. 

        Leia também: Bumbum na avenida: musas arrasam no carnaval de São Paulo

Acidente com oito vítimas

Manobra com o último carro da Tuiuti causou acidente grave na área da concentração
Reprodução/TV Globo
Manobra com o último carro da Tuiuti causou acidente grave na área da concentração

Na manobra de entrada de uma das alegorias na Sapucaí, oito pessoas saíram feridas. De acordo com as primeiras informações da Liga, no momento da curva, o carro acabou trombando na grade da avenida, prensando pelo menos oito vítimas, que tiveram que ser resgatadas pelo Corpo de Bombeiros. 

Todas as vítimas passam bem e seriam da imprensa. Uma das mulheres que foram prensadas ficou com a perna presa nas grades, que tiveram que ser cortadas para libertar a vítima. Ela sofreu fratura exposta da perna. Duas vítimas foram levadas ao hospital Souza Aguiar e as demais estão sendo socorridas pelo resgate da Sapucaí.

Parte da grade precisou ser cortada para que vítima prensada por carro alegórico pudesse ser resgatada pelos bombeiros
Reprodução/TV Globo
Parte da grade precisou ser cortada para que vítima prensada por carro alegórico pudesse ser resgatada pelos bombeiros

O carro que causou o acidente desfilou com dificuldade na pista. De acordo com as primeiras informações, a direção do carro está comprometida por alguma falha técnica.

Leia também: Confusão e fortes candidatas ao título marcam 2ª noite do carnaval de São Paulo

Mesmo com um desfile lindo, colorido e empolgante, a Paraíso do Tuiuti deve sofrer penalizações na disputa entre as escolas do Grupo Especial devido ao acidente. A evolução da escola também ficou prejudicada pela falha na alegoria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.