Composição estimula os foliões a se prevenirem contra as doenças transmitidas pelo mosquito

Agência Brasil

Um dos destaques do bloco Escangalha, que ocupou neste sábado (6) as ruas da Gávea, zona sul do Rio de Janeiro, foi a marchinha "Advocacia unida contra o Zika: ele não tem defesa". 

Bloco atrai gente bonita para conscientizar sobre o Aedes aegypti
Fernando Maia/Riotur
Bloco atrai gente bonita para conscientizar sobre o Aedes aegypti


Lançada pela Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro (Caarj), a marchinha faz parte da campanha da entidade de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre chikungunya e do vírus Zika. O intuito da campanha é alertar a população do Rio com relação à importância de acabar com os focos do mosquito.

Foliões se divertem no bloco Escangalha
Fernando Maia/Riotur
Foliões se divertem no bloco Escangalha


De autoria do compositor Sidney José dos Santos , a marchinha teve várias inserções durante o desfile do bloco Escangalha, criado por amigos que queriam resgatar o antigo carnaval de rua do Rio com seus sambas.

Homens se divertem no bloco Escangalha
Fernando Maia/Riotur
Homens se divertem no bloco Escangalha


A composição estimula os foliões a se prevenirem contra a doença. "Se não se cuidar e com o foco exterminar, ele vai te picar e vai ser uma dor de arrasar (...) / A advocacia manda um alô pra você. Se tiver água parada, o mosquito vai vencer/Não cabe recurso pra tamanha infração. A Zika pega e é a maior confusão", diz um dos trechos da música.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.