Sambista condicionou sua participação à presença da expressão na letra da música. Houve impasse, mas ele acabou demovido. Compositor nega veto de patrocinador, Basf

Martinho diz que 'reforma agrária' não foi incluída no texto por opção por samba alegre, não político
Roberto Filho/AgNews
Martinho diz que 'reforma agrária' não foi incluída no texto por opção por samba alegre, não político

O sambista Martinho da Vila afirmou ao iG que a Vila Isabel não incluiu a expressão “reforma agrária” na letra do samba-enredo da escola campeã do Carnaval 2013 porque queria um samba alegre, falando de festa e “sem caminhar para o campo político”.

Leia mais: Jovem presidente da Vila Isabel tem dia de beija-mão e de 'Poderoso Chefão'

Sabrina Sato, rainha de bateria Vila Isabel
Foto Rio News
Sabrina Sato, rainha de bateria Vila Isabel

Um dos autores do enredo e do samba, Martinho admitiu que sugeriu e defendeu a presença de “reforma agrária” no samba-enredo. O tema era agricultura e campo, e o compositor contou que deu a ideia e firmou pé para incluir a expressão na letra da música. Martinho é filiado desde 2005 ao PCdoB (Partido Comunista do Brasil), que há décadas prega a reforma agrária no País, mas afirmou que isso não teve nenhuma relação com sua demanda inicial.

Leia ainda: Vila Isabel mereceu o título de campeã

“Não fica legal a gente falar de campo e não falar de reforma agrária. [Não é por eu ser filiado ao PCdoB], independentemente disso, é uma relação direta [entre campo e reforma agrária]: se você for fazer uma reportagem sobre o tema, vai ter de citar. Acharam que não era legal, porque a diretoria pediu para não caminhar para o campo político, e sim falar de festa, trabalho”, contou Martinho.

Leia também: 'Não sou D.Corleone', diz Wilsinho, jovem presidente da Vila Isabel

Presidente da Vila, Wilsinho, com mulher e Sabrina
Foto Rio News
Presidente da Vila, Wilsinho, com mulher e Sabrina

Impasse

Como disse em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, o sambista chegou a condicionar sua permanência na equipe de músicos à inserção da expressão na letra. O ultimato gerou impasse de um dia no grupo de compositores, que incluía, além de Martinho, seu filho Tonico da Vila, Arlindo Cruz, Leonel e André Diniz.

“Eu dizia: Tem de botar reforma agrária. Não acharam que era legal. Eu disse: ‘Tem que ser por aí, senão não vou participar.’ O impasse durou de um dia para o outro, a gente se falava pelo telefone, por e-mail”, contou Martinho, que já fez seis enredos e 11 sambas-enredos na carreira.

Acabou convencido de substituí-la por “partilhar” a terra. “Eu insisti: ‘Não dá [para não citar reforma agrária]. Tem de dar um jeito de botar reforma agrária... Aí o André [Diniz, compositor] teve a solução: ‘partilhar’, que é distribuir. É preciso investir, conhecer, partilhar, proteger a terra”, disse, satisfeito.

Martinho da Vila fez o enredo e o samba campeões
Dani Barcellos/AgNews
Martinho da Vila fez o enredo e o samba campeões

Patrocinador não vetou, diz sambista

O sambista negou que tenha havido veto ou interferência do patrocinador, a Basf, à expressão “reforma agrária” no samba da Vila Isabel. Segundo ele, outra exigência sua foi a de evitar citar o nome do patrocinador ou falar diretamente de produtos que pudessem ser relacionados à empresa.

“Eu mesmo ajudei a formular o enredo. A ideia era falar de uma grande festa, não de trabalho com sofrimento. Não teve nada a ver com patrocinador [a não-inclusão de ‘reforma agrária’]. Eu também coloquei: não vamos falar de patrocinador, agrotóxico, industrialização, transgênicos. Fui um dos responsáveis pelo enredo. Formalizamos a sinopse do enredo, falando de campo, trabalho, festa, religiosidade”, explicou.

O resultado foi um samba-enredo de fato alegre, elogiado e cantado com entusiasmo pelos componentes durante o desfile que sagrou a Vila Isabel campeã do Carnaval de 2013.

Veja abaixo o resultado final da letra dos compositores Arlindo Cruz, Martinho da Vila, André Diniz, Tonico da Vila e Leonel.

Enredo: "A Vila canta o Brasil, celeiro do mundo: "Água no feijão que chegou mais um"

Michelle Fernandes, da Vila Isabel , é a Passista iG Rio 2013
Isabela Kassow
Michelle Fernandes, da Vila Isabel , é a Passista iG Rio 2013

O galo cantou

Com os passarinhos no esplendor da manhã

Agradeço a Deus por ver o dia raiar

O sino da igrejinha vem anunciar

Preparo o café, pego a viola, parceira de fé

Caminho da roça, e semear o grão...

Saciar a fome com a plantação

É a lida...

Arar e cultivar o solo

Ver brotar o velho sonho

Alimentar o mundo, bem viver

A emoção vai florescer

Ô muié , o cumpadi chegou

Puxa o banco, vem prosear

Bota água no feijão já tem lenha no fogão

Faz um bolo de fubá

Pinga o suor na enxada

A terra é abençoada

Preciso investir, conhecer

Progredir, partilhar, proteger...

Cai a tarde, acendo a luz do lampião

A lua se ajeita, enfeita a procissão

De noite, vai ter cantoria

E está chegando o povo do samba

É a Vila, chão da poesia, celeiro de bamba

Vila, chão da poesia, celeiro de bamba

Festa no arraiá,

É pra lá de bom

Ao som do fole, eu e você

A Vila vem plantar

Felicidade no amanhecer

Festa no arraiá,

É pra lá de bom

Ao som do fole, eu e você

A Vila vem colher

Felicidade no amanhecer

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.