Atriz desfila à frente dos ritmistas da escola, em enredo que homenageia o Pará

Cris Viana deixou de lado qualquer possível preocupação por suceder a eterna majestade Luiza Brunet à frente da bateria da Imperatriz Leopoldinense e entrou na avenida com garra. Representando a jóia do Pará, o único pedido da atriz ao estilista foi que a cabeça da fantasia não fosse muito pesada. 

LEIA TAMBÉM: IMPERATRIZ MOSTRA PARÁ PARA INGLÊS VER

Vídeo: Veja ensaio com Cris Vianna

Quinta escola a desfilar na segunda-feira (11), a verde, branca e dourado traz o enredo “Pará – O Muiraquitã do Brasil” dos carnavalescos Cahê Rodrigues, Mário e Kaká Monteiro.

Vote: Troféu Tamborim de Ouro 2013

A escola de Ramos faz uma homenagem ao Estado do Pará, lembrando as riquezas paraenses da culinária e da cultura, sem esquecer da política.

Saiba tudo sobre o carnaval do Rio de Janeiro

Veja o samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense:

“Pará, o Muiraquitã do Brasil”
Compositores: Me Leva, Gil Branco, Tião Pinheiro, Drummond e Maninho do Ponto

Raiou Cuara!
Oby aos olhos de quem vê!
Eu bato o pé no chão, é minha saudação,
Livre na pureza de viver!
Sopra no caminho das águas
O vento da ambição!
O índio, então…
Não se curvou diante a força da invasão,
Da cobiça fez-se a guerra,
Sangrando as riquezas dessa terra!
Cicatrizou, deixou herança,
E o que ficou está em cartaz…
Na passarela, “estado” de amor e paz!

Siriá… Carimbó… Na ciranda eu rodei!
No balanço da morena… Me apaixonei!
O bom tempero pro meu paladar…
De verde e branco “treme” o povo do Pará!

A arte que brota das mãos,
Dom da criação, vem da natureza…
Da juta trançada em meus versos
Se faz poesia de rara beleza!
Oh! Mãe… Senhora, sou teu romeiro,
A ti declamo em oração:
Oh! Mãe… Mesmo se um dia a força me faltar,
A luz que emana desse teu olhar
Vai me abençoar!

No Norte a estrela que vai me guiar,
Exemplo pro mundo: Pará!
O talismã do meu país,
A sorte da Imperatriz

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.