Atriz faz sua estreia na bateria da Mocidade: "Quem exige que rainha seja saradona é ignorante"

null

“Não vou ficar bunduda e pernuda porque meia dúzia de ignorantes me pediu para ficar gostosa”, diz Antônia Fontenelle , 38 anos, com uma sonora gargalhada. A autoconfiança e o bom humor da atriz e produtora de elenco misturados ao olhar sedutor e ao corpo de medidas impecáveis indicam que só o que faltava para coroar a beleza da brasiliense, criada no sertão do Piauí, era o título de rainha de bateria.

“Há quatro anos era destaque de chão na Grande Rio . Tem gente dando dois braços, duas pernas e alguns milhares de reais por isso”, dispara a nova dona do posto de rainha da Mocidade Independente , quarta escola a desfilar no primeiro dia de carnaval na Sapucaí.

Prestes a estrear na Avenida, Antônia enfrentou um ano cheio de adversidades. Precisou lidar com a descoberta e tratamento do câncer de esôfago de seu marido, o diretor da TV Globo Marcos Paulo , que chegou a deixá-lo em coma induzido. “Acho que 2011 foi um dos melhores anos em todos os sentidos porque vivi emoções das mais deliciosas às mais pesadas que alguém pode sentir”, diz.

Antônia Fontenelle é a nova rainha da Mocidade Independente
Paulo Marcos
Antônia Fontenelle é a nova rainha da Mocidade Independente

VEJA TODAS AS FOTOS DE ANTONIA FONTENELLE NO CARNAVAL

Parece aí acertada a escolha de seu nome para assumir o cobiçado posto – visto que a própria escola também precisa superar as adversidades dos últimos carnavais: há quase uma década a Mocidade não consegue voltar no Desfile das Campeãs.

Veja ensaios exclusivos com outras gatas do carnaval

Neste ensaio exclusivo para o iG , Antônia mostra que o samba no pé já está garantido e que, com tanta sensualidade, vai arrebatar a Sapucaí.

2011: ano tenso
“Acho que 2011 foi um dos melhores anos em todos os sentidos porque vivi emoções das mais deliciosas às mais pesadas que alguém pode sentir. Em vários momentos gritava no Twitter: ‘Meu Deus não estou aguentando’. Aí vinha um monte de gente: ‘Calma, vai passar’. Aquilo era um alento. Não fico me lamentando. A vida tem as cores que a gente dá a ela e aquele momento estava muito tenso. Ver o Marcos ali, em coma induzido, e aquela incerteza se tudo ia sair bem... Porque eu tinha certeza que ele não ia morrer. Mas como ia ser o pós?”

Catarse
“Aí veio esse convite. Então para mim é uma catarse entrar com o meu marido vivo, saudável, e eu na frente de uma bateria ainda mais como a da Mocidade de Padre Miguel. De rainha? Isso é presente dos deuses e a gente não diz ‘não’ a um presente desses. Isso é coisa que vem do universo”.

Antônia Fontenelle:
Paulo Marcos
Antônia Fontenelle: "Para mim é uma catarse entrar com o meu marido vivo, saudável, e eu na frente de uma bateria"

Apoio em casa
“Marcos ficou tão orgulhoso. Foi uma surpresa enorme para ele também. Marcos saía falando para todo mundo: ‘ela vai ser rainha da bateria, agora tem que estudar’. Porque recebi o convite e logo depois fui apresentada, ele não me deixava dormir. Falava ‘estuda mais sobre Padre Miguel e o enredo’. E eu: ‘Amor, não vou fazer uma prova do Enem não’. Ele é um meninão e se diverte. Não existe essa coisa de ciúme”.

Veja as mulheres mais bonitas da folia em 360º

Porte de rainha
“Tem muita gente que fala: ‘Ah, mas por que a Antônia? Magrinha, sem bunda, sem perna? Ela não tem perfil de rainha de bateria’. Realmente, as pessoas não estão acostumadas com o inusitado. Até aceitarem leva um tempo. Eu mesma fiquei surpresa com o convite. Acho que eu, a Ana Furtado, por exemplo, realmente não temos o perfil de rainha de bateria, mas o perfil estético. O que as pessoas precisam entender é que esse papel da rainha vai além da perna, da bunda, do samba no pé”.

O papel da rainha vai além da perna, da bunda, do samba no pé
Paulo Marcos
O papel da rainha vai além da perna, da bunda, do samba no pé

Preço da coroa
“Entendo que o carnaval há muito tempo deixou de ser só uma festa pela festa em si. As pessoas precisam de dinheiro para fazer esse espetáculo. Então quando cogitam ‘Ah ela pagou ou não pagou (pelo posto de rainha)?’ eu também não acho estranho porque o carnaval virou uma indústria. É sabido que muitas rainhas pagam pelo posto. Mas eu não. Imagina. Não tenho dinheiro nem para pagar pela minha fantasia, que dirá o posto.”

Comendo feijão
“Quando cheguei na feijoada em que fui apresentada como rainha, a quadra estava cheia e as pessoas me olhavam estranho porque não estou no ar, não sou conhecida do grande público. Daí falei: ‘Preciso ganhar essas pessoas’. Então eu mesma peguei o microfone e me apresentei. Tirei foto com todo mundo, almocei, comi feijão e não estava fazendo linha. Me falaram que ninguém nunca se apresentou e que, quando saí de lá, consegui 100% de aceitação”.

Antônia Fontenelle:
Paulo Marcos
Antônia Fontenelle: "A mulher nordestina é uma mulher guerreira"
Gostosa sim, sarada não
“Quem exige que eu seja saradona é gente ignorante. Eu sou uma atriz. Nem que quisesse ficar uma mulher gostosérrima, com uma perna e uma bunda enormes, ia conseguir. Meu corpo não vai chegar a isso, não faz parte da obrigação de uma rainha de bateria. Luma de Oliveira foi assim algum dia? Não. Nem Monique Evans e nem Luiza Brunet. Essas foram grandes rainhas e vou me inspirar nelas. Não vou ficar bunduda e pernuda porque meia dúzia de ignorantes me pediu para ficar gostosa. Gostosa eu já sou meu amor”.

Tente despir as musas e rainhas

Samba de nordestina
“O sambinha já está bonitinho, mas tenho um problema sério com os braços porque fiz muay thai por muito tempo e mulher nordestina não tem gestos delicados nas mãos. É uma defesa. Isso é fato. É sabido e eu reparo muito. A mulher nordestina é uma mulher guerreira. Essa leveza nas mãos para mim é uma dificuldade absurda e duvido muito que chegue a 100%, mas vou buscar de outros artifícios para equilibrar isso”.

VEJA TODAS AS FOTOS DE ANTONIA FONTENELLE NO CARNAVAL

38 anos
Altura: 1,65 m
Peso: 51 kg
Quadril: 90 cm
Cintura: 70 cm
Busto: 88 cm

Produção: (Ana Beatriz Genuncio) / Maquiagem: Maurício Nazário

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.