Ex-assistente de palco fala de preconceito com trabalho e troce para se livrar das dores no quadril para brilhar na avenida

Tânia Oliveira é presença garantida no carnaval de São Paulo. E em 2015 será em nova escola. Depois de sete anos na X-9 Paulistana e outros sete com a Tom Maior, Tânia fará sua estreia como madrinha da Dragões da Real.

Já fiz aquelas dietas de só comer clara de ovo. Teve um ano, que só comia frango e brócolis, tudo sem tempero"

A ex-panicat afirma que não houve nenhum problema com ninguém da Tom Maior. E ainda diz que já tinha tomado a decisão de deixar a agremiação antes mesmo do desfile de 2014. "Todo fim de relacionamento é triste, mesmo quando a gente tem certeza daquilo que a gente quer. Era um ciclo que eu precisava encerrar, era meu momento de sair. Algumas situações me incomodavam, mas não saí triste nem briguei com ninguém", contou Tânia.

Entre os dois carnavais, Tânia recebeu diversos convites de outras escolas e chegou até a cogitar ficar longe da folia. "Vou pela energia e não pelo posto. Não me interessa se o posto é de rainha de bateria, o posto maior que uma pessoa pode ter na escola. Me interessa se vou me sentir bem, ser bem acolhida. E isso aconteceu na Dragões. Entrei e me senti em casa", explicou.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias nos famosos

Saúde e boa forma

Com 1,64 m e 58 kg, Tânia Oliveira diz não se preocupar com os números da balança, mas com "a distribuição das coisas". A frase da apresentadora é porque ela tem se preocupado em trocar gordura por massa magra, deixando o corpo mais sequinho e definido.

Já cheguei a sair sangrando da avenida, com fantasia machucando"

Para isso, Tânia segue uma dieta regrada e malha bastante. Em especial, os glúteos. Mas o foco no bumbum neste carnaval tem um motivo. "A fantasia é minúscula", se diverte Tânia, que ainda explica. "A gente recebe o desenho da fantasia e eles desenham só a parte da frente. Aí mandei para o ateliê e deixei lá na mão dele. Quando fui provar, atrás era uma coisa minúscula. É realmente uma coisa insignificante", dispara Tânia aos risos.

A preocupação maior da ex-panicat, no entanto, é se vai conseguir entrar sem dores na avenida. Recentemente, Tânia teve uma lesão no quadril, o que prejudicou seu treino e provocou muitas dores. Uma leve melhora após um período de fisioterapia foi por água abaixo quando Tânia voltou para os ensaios.

"Fiquei feliz da vida, sem dor nenhuma. Aí vim para o ensaio no sábado e me joguei. Voltou a dor todinha de novo. No ensaio na avenida, não aguentava de dor, não consegui sambar. Fui no truque, no carão, na simpatia, cantando. Mas não consegui sambar de dor", lamentou Tânia.

Desde então, a ex-panicat retomou a fisioterapia e torce para a dor passar até o dia do desfile. "Será uma manutenção para aguentar a dor no carnaval, mas só vou tratar direitinho mesmo depois que o carnaval passar", explicou ela, que não vai se prender à dor na hora de sambar na avenida. "Vou tomar um remedinho para tirar a dor porque não vou aguentar. Minha escola está maravilhosa, merece que eu sambe muito", dispara.

Alimentação

Além de muita malhação (quando está liberada), Tânia tem o acompanhamento de um nutrólogo há cerca de quatro anos. Mas, antes disso, a ex-panicat já fez muita loucura para manter a forma. "Já fiz aquelas dietas de só comer clara de ovo. Teve um ano que só comia frango e brócolis, tudo sem tempero. Tanto é que hoje não aguento comer frango, porque fiquei com trauma do cheiro. Acabei adquirindo alguns traumas com essas dietas malucas. E foi uma coisa que nem me deu o resultado que eu esperava."

Sou meio largada, moleca. Não sou tão vaidosa. Tenho preguiça até de passar um hidratante no corpo"

Tânia ainda faz questão de dar alguns conselhos para as passistas de primeira viagem que vão encarar o carnaval na avenida. “É uma época que exige muito gasto energético. Eu sempre falo: ‘não pode ficar sem comer, senão você vai desmaiar no meio da avenida’. É um desgaste muito grande”, afirma.

A ex-panicat é bem regrada em relação à alimentação, evitando doces quando chega essa época de preparação para o carnaval. “Mato minha vontade de doce com gelatina diet, fruta, com outras coisas. Doce, brigadeiro, bolo, eu não como”. A exceção vem horas antes de entrar na avenida. “No dia do desfile, eu como doce, para me dar aquela energia extra, e tomo bastante isotônico. Não tomo com antecedência porque faz você reter líquido”, explica ela, revelando um de seus segredos para encarar os 70 minutos de desfile.

Outros segredos de Tânia são para proteger o corpo para não acontecer, por exemplo, o que aconteceu com Tati Minertato no último ensaio técnico. A rainha de bateria da Gaviões da Fiel chegou ao final do percurso com a virilha machucada por causa do atrito com a fantasia. “Tem um adesivo que uso que é uma espécie de micropore, mas é plástico e adere muito bem à pele. Então coloco em todas as partes do corpo onde a fantasia possa machucar. Nos ombros, nos dedos do pé... Já cheguei a sair sangrando da avenida, com fantasia machucando. Aí não é legal”, relata.

CONFIRA AS NOTÍCIAS DO CARNAVAL 2015 EM NOSSA PÁGINA ESPECIAL

Ex-panicat

Tânia foi uma das primeiras assistentes de palco do programa “Pânico”, mas revela não se incomodar com o título de ex-panicat que a acompanha. "Se um dia eu for presidente do Brasil, vão falar ‘Tânia Oliveira, presidente do Brasil e ex-panicat'", brinca a apresentadora. “É um rótulo que vou levar por muitos anos, muito tempo. E não tenho problema nenhum com isso. Foi uma época muito legal, de experimentar muitas coisas, muitas oportunidades, muitos testes no programa. Era uma época que todo mundo ralava junto, que não tinha um glamour. O ‘Pânico’ era mais rústico, vamos dizer assim”, relembrou Tânia.

A ex-panicat conta ainda que deixou o programa decidida a seguir a carreira de apresentadora. “Fui estudar, fazer cursos. Por isso que hoje, mesmo fora do ar, me considero apresentadora, porque estudei para isso”, explica. E, ao que tudo indica, esse “fora do ar” tem tempo marcado para terminar. “2015 começou superbem. Os projetos saíram da gaveta e vão se concretizar agora em março”, afirmou Tânia, sem revelar quais são as novidades.

Se um dia eu for presidente de Brasil, vão falar ‘Tânia Oliveira, presidente do Brasil e ex-panicat’"

Preconceito

Os termos “panicat” e “garota de programa” já foram relacionados por diversas vezes na mídia, seja por comentários ou por listas que surgiram com nomes de algumas meninas. Tânia lamenta tais insinuações e afirma que esse preconceito não é exclusividade das assistentes de palco do humorístico. “Quase todas as meninas que trabalham com exposição de corpo, que trabalham de biquíni na TV, que fazem revista masculina - como fiz a Playboy em 2006 -, sofrem preconceito. Você tem que provar que consegue fazer outras coisas além de mostrar a bunda, que é o que todo mundo fala”, disparou Tânia.

A apresentadora afirmou ainda que o preconceito é grande até na hora de conquistar novos trabalhos. “Já perdi trabalhos por ter sido panicat. Estava com contrato praticamente assinado e a pessoa foi pesquisar meu trabalho, viu que eu tinha sido panicat e falou que não queria”.

Tânia destaca ainda que Tiazinha, Feiticeira e outros personagens criados para a TV devem ter passado pela mesma situação. “O que a gente fazia no ‘Pânico’, de ser mulherão, sensual, na vida real, não tem muito a ver comigo. Sou meio largada, moleca. Não sou tão vaidosa. Tenho preguiça até de passar um hidratante no corpo. A produção acontece quando tem que fazer algum trabalho porque o público não merece ver a gente de qualquer jeito”, defende.

Agradecimentos:
Stefanny Porfírio (make e hair)
Atelier Robytt Moon (figurino)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.