Destaque na Acadêmicos do Grande Rio, atriz contou que faz aulas de samba e dorme de cinta para afinar a cintura

No meio do baralho espalhado pela Acadêmicos do Grande Rio este ano, o iG pincelou uma carta que faz sua estreia na Marquês de Sapucaí. Com cara de novata, mas vontade de veterana, Carol Picchi , puxada pelo amigo e Rei da Bateria, David Brazil , aceitou o desafio de cantar a plenos pulmões o samba-enredo da agremiação carioca no carnaval 2015.

Ela vem no quarto carro, como destaque principal, e vestida como cigana. “Sempre lembrando que é a cigana que dá as cartas do baralho. Legal, né? Diz muito sobre minha personalidade. Na vida, eu que dou as cartas para tudo”, contou a atriz ao iG durante um ensaio exclusivo no barracão da escola, na Cidade do Samba, no Rio de Janeiro.

Carol vai entrar no sambódromo toda vestida. Por isso, aproveitamos o pré-carnaval para mostrar o que a Grande Rio está perdendo (ou ganhando). Com 1,60m e 51 quilos muito bem distribuídos, a atriz, que viveu, inclusive, uma cigana na novela “Flor do Caribe” (Globo), exibiu a excelente forma física conquistada com muita determinação, corridas na areia e aulas de samba.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias nos famosos

“Sou bailarina clássica de formação, mas nunca tinha me dedicado às aulas de samba como me dedico agora para valer. Faço aulas particulares há dois meses, uma ou duas vezes por semana. Não achei tão difícil, porque já tenho uma história com a dança, tenho bom alongamento, malho direto… Mas não é tão fácil também, não. Um samba bonito, com coreografia é complicado. Fora que a aula é de salto, então é tipo maratona. Melhor do que qualquer aeróbico”, disse.

Nascida em Londrina, no Paraná, mas morando no Rio há cinco anos, Carol sempre cuidou do corpo e alimentação. Com uma genética que ajuda demais o processo, avisa que a única intervenção cirúrgica que já fez foi o silicone nos seios. “Coloquei 285ml porque meus seios eram realmente pequenos e meu namorado da época me deu de presente. Hoje eu acho bem bonito, e do jeito que é. O mais natural possível”, contou.

No papo, o iG descobriu mais um segredinho para a silhueta invejável: “Estou dormindo de cinta, acredita? Na verdade, não é para o carnaval, porque vou desfilar toda vestida. É para a vida mesmo (risos). Aliás, meu corselet da fantasia já tiveram de apertar duas vezes. Claro que não durmo com a cinta me apertando demais. É só para dar aquela moldada. E outra dica, essa para perna e bumbum, é correr na areia. Eu gosto de correr ou muito cedo ou no fim da tarde”.

Emoção na avenida

Foi no ensaio técnico da Grande Rio que Carol sentiu pela primeira vez a emoção de pisar na Sapucaí. “O ano que eu ia desfilar na Grande Rio foi quando a Cidade do Samba pegou fogo (em 2011) . E nesse intervalo eu estava viajando e não ia conseguir me dedicar ao carnaval. Não é só desfilar. Tem que ter um preparo, samba no pé… Envolve muita energia. Você precisa fazer aula de samba, visitar a escola, conhecer todo o pessoal. E como eu não tinha disponibilidade para fazer o meu melhor, preferi aguardar para quando pudesse fazer tudo isso”, contou.

“Sempre tive vontade, era um grande sonho desfilar. Eu curto carnaval desde pequena, e via os desfiles na Sapucaí pela televisão e já falava que queria estar ali. Acho lindo, é a maior festa do mundo. Me encanto por tudo. Pela energia, as pessoas, a paixão por aquele trabalho… Eu chorei na avenida quando fui ao ensaio técnico. Foi a primeira vez que pisei ali e fiquei muito emocionada. Senti alegria, gratidão... É muita vibração e durante todo o tempo que dura a avenida. No desfile, você não sente dor no pé, não sente nada… É uma delícia”, disse Carol, animada.

Carol Picchi
Andre Luiz Mello/O Dia
Carol Picchi

A fantasia de cigana veio por pura coincidência, segundo ela. “O David (Brazil) que me chamou para a escola, e quando o Jayder ( Soares , presidente) foi me mostrar o lugar que eu ia ficar, era no carro da cigana. A fantasia é totalmente coberta. Tirando o calor (risos), está tudo bem. A fantasia ficou linda. É claro que, da próxima vez, se me chamarem para desfilar com menos roupa, também vou achar legal. Eu acho lindo as meninas de biquíni desfilando”, pontuou.

E já que falamos no Rei da Bateria, é preciso tocar no nome da atual Rainha: Susana Vieira . “Eu acho que ela arrasa, está dando um show. No ensaio técnico ela não parou, e sempre muito simpática com todos, sabe? Tem um carinho com o público… E tem que ter isso. Você precisa ter o carisma para ser destaque, musa ou rainha. Tem que ter o conjunto”, opinou.

Solteira no Rio

Com foco na carreira, Carol avisou que está solteira e que não curte planejar muito os próximos passos quando o assunto é o coração. Carnaval então é uma boa época para arrumar um gato?

“Será? Vai que é, não vamos falar que não, né (risos)? Eu não falo que quero namorar e nem que não quero. Deixo acontecer. Hoje estou focada bem no profissional, mas claro que se você tem alguém do seu lado que te incentiva, é bem bacana. Eu tive um namorado que era muito ciumento, me podava muito. Isso não é legal. Mas se é alguém que de apoia e incentiva, aí sim”, comentou ela.

Agradecimentos:

Barracão Grande Rio (locação)
Cinthia Silva (make e cabelo)

Carol Picchi no barracão da Grande Rio
Andre Luiz Mello/O Dia
Carol Picchi no barracão da Grande Rio


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.