Mancha Verde

Mancha Verde
  • Nome
    G. R. C. E. S. Mancha Verde
  • Fundação
    18/10/1995
  • Posição em 2015
    Campeã do Grupo de Acesso de 2016
  • Enredo
    “Zé do Brasil – Um nome e muitas histórias”
  • Carnavalesco
    Pedro Alexandre (Magoo)
  • Intéprete
    Fredy Vianna
  • Cores Oficiais
    Verde e branco
  • Mestre de Bateria
    Mestre Maradonna
  • Ordem do desfile
    Primeira escola a desfilar no sábado, 25

Sobre a escola

História

Em 1995, a paixão pelo futebol já ultrapassava fronteiras e se estendia para um gênero musical que anda lado a lado com o esporte: o samba. Nesse sentido, uma associação que se dedicava apenas à bola no pé passou a trabalhar para desfilar no carnaval paulista em 1996. Mesmo com dificuldades e forças externas tentando impedir, o Grêmio Recreativo Cultural Bloco Carnavalesco Mancha Verde foi criado em 18 de outubro 1995 e assim permaneceu até 1999. No ano de 2000, o antigo bloco carnavalesco se tornava escola de samba, que depois de quatro carnavais nos grupos inferiores, já disputava um título com as outras escolas do grupo especial no sambódromo do Anhembi. Em 2010, a Mancha ficou na 4ª colocação (apenas 1 ponto da 1ª colocada naquele ano) e participou do Desfile das Campeãs. De 2015 para 2016, a escola foi campeã do Grupo de Acesso com o enredo "Mato Grosso, uma Mancha Verde no coração do Brasil”, registrando 269,4 pontos.

Bate em meu peito a emoção

É verde e branco o meu amor

Orgulho e paixão

Nos braço da multidão

O samba reconhece o meu valor

No puro balanço do tambor, é Zé Pereira

Canto em brado a homenagem aos Josés, (Mancha Guerreira)

Do milagre à devoção, a fé, religião

Aos romeiros eu sou padroeiro e a salvação

O dom de curar em minhas mãos

Na voz um doce cantar

Fiz da Vila, cidade

Vindo de além mar

Eu sou a história

Tenho muito pra te contar

Êêê, o meu nome é expressão popular

Êêa, o clamor a liberdade

Imortal

Capoeira, Capoeira

Valei-me, valei, sou arte

Cabra da peste sonhador

Malandro “guerreiro”, felomenal

Ao som da Tropicália dei o tom

Personagens criei

O terror em cartaz

Roda Viva em cena

Eu sou a face da grandeza desse povo

A metamorfose dessa pátria mãe gentil

Muito prazer, Zé do Brasil!

Viviane Araújo

Últimas Notícias