Publicidade
Publicidade - Super banner

enhanced by Google
 

Camisa Verde e Branco

Compartilhar:
Nome GRESM Camisa Verde e Branco
Fundação 04/09/1953
Posição em 2011 2ª Colocada (Grupo de Acesso)
Enredo “É o Amor!”
Carnavalesco Anselmo Brito
Intérprete Agnaldo Amaral
Cores Oficiais Verde e branco
Mestre de bateria Jeyson Ferro
Ordem do desfile Vice-campeã do Grupo de Acesso, a escola abre a primeira noite de desfiles: dia 17 de fevereiro de 2012 (sexta-feira)
Leia mais sobre a escola

Últimas Notícias

    Todas as notícias

    A ESCOLA

    História

    A história da escola começa em 1914, quando um grupo de sambistas, liderado por Dionísio Barbosa, saia desfilando pelas ruas do bairro da Barra Funda vestindo camisas verdes e calças brancas. Os foliões, batizados de Grupo Carnavalesco da Barra Funda, entraram em atrito com o governo Getúlio Vargas, que os confundia com simpatizantes do partido integralista de Plínio Salgado por causa das cores dos trajes. Em 1936 e nos anos seguintes, eles simplesmente não foram às ruas no carnaval. Mais tarde, surge um movimento para reorganizar o grupo, desta vez idealizado por Inocêncio Tobias. Em 4 de setembro de 1953 nascia o cordão Mocidade Camisa Verde e Branco. E assim foi até 1972, quando, seguindo a tendência na cidade, o cordão se transformou em escola de samba. Dois anos mais tarde veio o seu primeiro título, resultado que se repetiu pelos três anos seguintes. Foi o primeiro tetracampeonato da história do carnaval. Em 2011, a escola foi vice-campeã do Grupo de Acesso, com 267,75, e voltou à elite do samba paulistano, após três anos.

    Samba-enredo 2012

    “É o Amor!”
    Compositores: Anderson Banana, Rodney Cheto, Fábio Bogalho, Rodrigo CP, Rafinha e Xuxa do Cavaco

    É verde e branco o meu amor
    Meu pavilhão, minha paixão
    Eu sou Camisa onde for
    O trevo é, meu coração


    Sinta o romance no ar, é o amor
    Conquistando os corações, o cúpido te flechou
    Emoções, lindas estórias e loucuras
    Platônico, o sol enamorado pela lua
    É divinal, é imortal e vai se propagar
    Inexplicável pode transformar e mudar a humanidade
    Na obra de arte, do imperador, a dor de uma saudade que ficou
    Flores num lindo jardim, personagens de amores sem fim
    É puro e verdadeiro, o meu orgulho de ser brasileiro!

    Ora ie ieo mamãe Oxum
    Deusa do amor, conduza minha fé
    É o povo clamando, em uma só voz
    Em cada um de nós derrame seu axé


    Um grito de gol, ecoa no ar
    É universal, não dá pra negar
    Sem preconceito eu sou, é colorido o amor
    Estenda a mão, ao seu irmão
    Como é nobre o gesto de doar
    E o vento levou, embora a tristeza
    Do outro lado da vida existe a beleza
    Nas ondas do rádio, casais apaixonados
    Na tela do computador a esperança
    Respeite o direito de uma criança
    Mascarados no salão, é carnaval, vou te beijar
    A furiosa, faz você se apaixonar!

    Títulos

    A escola foi nove vezes campeã do Grupo Especial: 1974, 1975, 1976, 1977, 1979, 1989, 1990, 1991 e 1993, sendo o último com o enredo “Talismã”.

    Rainha de bateria

    Joyce Costa

    Musas

    Mulher Moranguinho: Musa da Bateria - Veja o ensaio da funkeira exclusivo ao iG
    Fernanda Passos: Princesa da Bateria