Ideia do enredo aconteceu quando o lateral brasileiro do Barcelona foi alvo de insulto racial durante jogo na Espanha

O preconceito racial ainda é um assunto que incomoda bastante no mundo todo. E foi pensando nisso que a Imperatriz Leopoldinense levou à Sapucaí o samba-enredo "Axé, Nkenda! Um ritual de liberdade. Que a voz da igualdade seja sempre a nossa voz!".

A ideia inicial partiu quando um torcedor do Villarreal, da Espanha, jogou em campo uma banana para o brasileiro Daniel Alves, do Barcelona. O lateral surpreendeu a todos pegando a fruta no gramado e a comendo.

A escola retratou a luta contra o racismo e a exaltação do negro, fazendo uma reverência ao líder sul-africano Nelson Mandela, morto no final de 2013. As coloridas alegorias e as fantasias foram inspiradas no trabalho de uma artista plástica africana.

O terceiro carro da Imperatriz na avenida teve vários destaques passando mal na dispersão. Segundo relatos de uma integrante da escola, o veículo balançou muito durante o percurso do desfile.

*Com informações de Thiago Camara

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.