Escola homenageou o carnavalesco Clóvis Bornay e fez uma apresentação com castelos, invenções e muito chocolate

A busca pelo bicampeonato da Unidos da Tijuca no carnaval do Rio de Janeiro tem sotaque suíço. A escola que levou o título em 2014 homenageou o carnavalesco Clóvis Bornay, filho de pais suíços e narrador da história tijucana - lembrando que a agremiação não tem mais Paulo Barros, que foi para Mocidade.

O enredo "Um conto marcado no tempo - o olhar suíço de Clóvis Bornay" levou à Sapucaí histórias, personagens e lendas da Suíça, com direito a dragões, bruxas e castelos em suas alas e alegorias.

A Unidos da Tijuca apostou também em abordar o lado tecnológico do país europeu, com suas invenções. A principal delas é o relógio, mas foram feitas referências às caixas de música, canivete, avião solar e acelerador de partículas atômicas. 

Um dos carros alegóricos levou a neve para avenida, refrescando o público no calor.

A atual campeã lembrou também da pureza das águas e da culinária suíça, com os sempre requisitados queijos e vinhos. Não podiam faltar os tradicionais chocolate, tema de um carro específico com uma enorme fábrica. Por falar nisso, durante o desfile, a Unidos da Tijuca distribuiu cinco toneladas do doce nas arquibancadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.