Lutando para ficar no grupo especial do Rio de Janeiro, a escola conta a vida do revolucionário Fernando Pamplona

Primeira do segundo dia de desfiles das escolas do grupo especial do Rio de Janeiro, a São Clemente entrou na Sapucaí não atrasou um minuto sua apresentação. A escola entrou pontualmente às 21h30 (de Brasília) para mostrar ao público a homenagem preparada a  Fernando Pamplona , um dos mais importantes e revolucionários carnavalescos de todos os tempos. 

Vote: Qual escola fez o melhor desfile da primeira noite na Marquês de Sapucaí?

"A incrível história do homem que só tinha medo da Matinta Perera, da Tocandira e da Onça pé de boi" foi o nome do samba-enredo assinado pela carnavalesca  Rosa Magalhães , ex-aluna e discípula de Pamplona. 

Leia mais:  De shortinho e decotão, Viviane Araújo rouba a cena em camarote no Rio

O desfile passou por alguns pontos marcantes da vida e obra do homenageado. Temática muito usada por Pamplona ao longo da carreira no carnaval, a cultura negra foi bastante exaltada. Houve também lembrança ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro, lugar em que ele trabalhou como cenógrafo, e a personagens folclóricos do Acre, onde passou a maior parte da infância. 

A apresentação, no entanto, teve algumas dificuldades. A bruxa do carro abre-alas estava com um dos dedos pendurados. Com isso, a escola da Zona Sul do Rio de Janeiro pode perder pontos no quesito alegoria. A harmonia também pode ser prejudicada na apuração dos votos, devido ao espaço que havia entre as alas, que ainda teve problemas nas fantasias. Apesar disso, o público recebeu o tributo a Pamplona com empolgação. 

*Com informações do repórter Thiago Camara

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.