Conheça as peças que fazem parte do carnaval e que não deixam as musas completamente nuas na avenida


Juju Salimeni , Andressa Urach , Sabrina Sato e tantas outras musas do carnaval fazem uso do tapa-sexo na avenida. Seja para aparecer com os corpos pintados, para proteger as partes íntimas do atrito causado pela fantasia ou até apenas para não despontuar a escola. Afinal, corpos completamente nus são motivo para as agremiações perderem ponto nos desfiles das escolas de samba.

CONFIRA AS NOTÍCIAS DO CARNAVAL 2015 EM NOSSA PÁGINA ESPECIAL

Mas você sabe quais são os tipos de tapa-sexo utilizados por rainhas, musas, destaques ou passistas?

A peça pode ser produzida apenas com um ferro ou arame torcido, que integra a fantasia. Quando utilizado dessa maneira, o tapa-sexo pede um “irmão”. Para proteger as partes íntimas, a musa costuma usar um tapa-sexo adesivo por baixo. Estes, descartáveis, são encontrados em farmácia e são os mais utilizados até por modelos em passarelas.

O adesivo é prático, pois, se comprado de um tamanho maior, pode ser moldado de acordo com o tamanho da fantasia. Mas é importante estar com a virilha completamente sem pelos, senão o sofrimento após o desfile para a retirada do adesivo será grande. Uma dica para quem não quer fazer a depilação completa é aplicar algodão nas partes que podem sofrer com a retirada do adesivo.

Tapa-sexo de encaixe
Reprodução
Tapa-sexo de encaixe

Existe também um modelo chamado de calcinha de encaixe. Esta peça pode ser feita de tecido e polietileno injetado ou de poliamida com elastano. A parte de frente do encaixe forma uma espécie de triângulo, seguindo para um fio-dental na parte traseira.

Por não ter lateral, a peça não deixa a pele marcada, como acontece com a calcinha de silicone desenvolvida por Ângela Bismarchi. Por ser de silicone, o que deixa a peça completamente transparente, deixando em dúvida se a musa está completamente nua ou não, esta calcinha é a mais confortável das opções de tapa-sexo.

Curta a fanpage do iG Gente no Facebook e receba as últimas notícias nos famosos

Ângela desenvolveu o acessório pois diz não gostar de ficar sem calcinha. A personalidade da mídia costuma usar a peça mesmo fora do carnaval, quando utiliza vestidos ou roupas decotadas.

Modelo adesivo
Reprodução
Modelo adesivo

Vale citar que também há no mercado um tapa-sexo comestível. Mas, este, não é nem um pouco recomendável para quem vai entrar na avenida, já que ele se dissolve lentamente ao contato da umidade e o calor do próprio corpo. Para quem se empolgar e quiser realizar fantasias de carnaval, este tem sabor e deixa aroma da fruta escolhida.

Para os seios, mesmo sendo bem pouco utilizado na avenida, a coisa é bem mais simples e pode ir de peças caseiras a comerciais. Indo desde o band-aid, passando pelo esparadrapo e micropore, e chegando ao Lib, um adesivo hipoalergênico modelador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.