Homenageados, corpos esculturais, alegorias luxuosas e famosos: saiba o que rolou no carnaval 2014

Em São Paulo e no Rio de Janeiro, os desfiles das escolas de samba foram marcados por homenagens a personalidades, alegorias luxuosas e famosas de corpo escultural.

ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA DO CARNAVAL 2014 NO iG

Veja imagens de todos os desfiles de SP e Rio:

A Leandro de Itaquera deu início ao carnaval de São Paulo, na noite de sexta-feira (28), com um enredo sobre a Copa do Mundo. Em seguida foi a vez da Rosas de Ouro , que levou o ciclo da vida e a musa Ellen Rocche para a avenida.

A X-9 Paulistana manteve sua tradição de carnavais lúdicos com enredo sobre a loucura, e teve Gracyanne Barbosa como rainha de bateria. Já o desfile da Dragões da Real transformou em samba o futurismo cinematográfico dos anos 1980, buscando inspiração em filmes como Blade Runner.

Sabrina Sato desfilou de dourado como rainha da Gaviões da Fiel em SP
Orlando Oliveira/AgNews
Sabrina Sato desfilou de dourado como rainha da Gaviões da Fiel em SP

O tema infância foi bastante presente no carnaval 2014, inclusive no desfile da Acadêmicos do Tucuruvi , escola que teve Livia Andrade como rainha de bateria. Na luta pelo título, Vai-Vai homenageou os 50 anos da cidade de Paulínia, enquanto a Tom Maior fechou o primeiro dia falando sobre Foz do Iguaçu.

No sábado (1º), quem abriu os trabalhos foi a Pérola Negra , cantando sobre a felicidade. Em seguida, a Gaviões da Fiel fez homenagem a Ronaldo Fenômeno, que desfilou acompanhado da família. Sabrina Sato foi outro destaque.

Em busca do terceiro título, a Mocidade Alegre escolheu a fé como tema de seu desfile. Já a Nenê de Vila Matilde buscou inspiração em história de amor famosas, como a de Lampião e Maria Bonita.

Dorival Caymmi foi o homenageado da Águia de Ouro , que mostrou a religiosidade e a força das canções do baiano que completaria 100 anos em 2014. A Império de Casa Verde refletiu sobre a ecologia em enredo sobre sustentabilidade, enquanto a Acadêmicos do Tatuapé fechou o carnaval paulistano com a história de São Jorge.

Rio de Janeiro

No Rio, os desfiles começaram no domingo (3) com a Império da Tijuca , de volta ao grupo especial após 16 anos. A escola voltou a falar sobre ritmos africanos, tema que lhe deu a vitória no grupo de acesso.

Em seguida foi a vez de a Grande Rio fazer uma homenagem à cantora Maysa e à cidade de Maricá, onde ela passou os últimos anos de vida. Já a São Clemente levou para a avenida o modo de vida dos moradores das favelas.

Daniela Albuquerque na Grande Rio
AgNews
Daniela Albuquerque na Grande Rio

Com Carlinhos de Jesus no comando da comissão de frente, a Mangueira entrou na Sapucaí para homenagear o povo brasileiro que, segundo seu samba, "dá duro o ano inteiro para poder comemorar". Com Viviane Araújo à frente da bateria, a Salgueiro mostrou a relação do ser humano com Gaia, que significa Terra para os gregos. Uma pane elétrica apagou as luzes de um carro, mas não houve grandes incidentes.

A Beija-Flor de Nilópolis mostrou a história da comunicação brasileira através da trajetória de uma figura bastante presente na TV: o diretor Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. As celebridades compareceram em peso, como Faustão, Angélica, Luciano Huck, Claudia Raia.

A atriz Letícia Spiller foi destaque em carro alegórico da União da Ilha
AgNews
A atriz Letícia Spiller foi destaque em carro alegórico da União da Ilha

Na segunda-feira (4), os desfiles começaram com a Mocidade Independente de Padre Miguel , que fez homenagem ao Estado de Pernambuco e ao carnavalesco Fernando Pinto, pernambucano que deu à Mocidade o título de 1985.

A União da Ilha levou brinquedos e brincadeiras, em outro enredo que falou sobre a infância. Houve um incidente quanto um telão de videogame de um dos carros, que trazia um destaque no topo, começou a tombar. Mas foi só um susto e tudo terminou sem maiores problemas.

Atual campeã do carnaval do Rio de Janeiro, a Unidos da Vila Isabel fez um retrato das diferentes regiões do Brasil, com homenagens a Chico Mendes e Câmara Cascudo. Sabrina Sato liderou a bateria da escola, que teve um problema com as fantasias de ao menos duas alas: como as roupas não chegaram a tempo no sambódromo, membros da agremiação desfilaram vestindo shorts, biquíni e macacão.

Zico foi o grande homenageado da Imperatriz Leopoldinense , e o ídolo do Flamengo comemorou seu aniversário de 61 anos como destaque do último carro da escola. A Portela transformou a Sapucaí na avenida Rio Branco, uma das mais importantes da capital carioca.  Uma das surpresas foi o uso de um águia controlada por controle-remoto.

O fim do carnaval ficou por conta da Unidos da Tijuca , que para homenagear Ayrton Senna levou até uma réplica da McLaren que o piloto usava em 1993.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.