Agremiação é a penúltima escola a desfilar pelo Grupo Especial no primeiro dia de desfiles de São Paulo

A Vai-Vai  é a sexta e penúltima escola a entrar no Sambódromo do Anhembi às 5h deste sábado (1), no primeiro dia de desfiles do Grupo Especial de São Paulo. A agremiação do Bixiga briga pelo título do carnaval com o enredo "Nas chamas da Vai-Vai, 50 anos de Paulínia" , sobre a cidade do interior do Estado.

Assinado pelo carnavalesco Chico Spinoza , o samba fala sobre como a cidade se tornou um pólo cultural, com destaques homenageando a refinaria de petróleo local e atividades como o Festival de Cinema . A escola tem a dançarina Camila Silva como rainha de bateria; entre os destaques estão a atriz Adriana Lessa e a modelo Luiza Ambiel , eterna musa da Banheira do Gugu.

ACOMPANHE A COBERTURA ESPECIAL DE CARNAVAL

Como uma pausa no mundo colorido e infantil, que dominou os desfiles paulistas, a comissão de frente da Vai-Vai realizou acrobacias com uma grande coroa, símbolo da tradicional escola, que abria em forma de pétalas durante as coreografias.

A quebra temática chegou a desanimar o público do Anhembi, que era embalado pelas boas lembranças infantis. A tradição da escola, no entanto, foi responsável pela ousadia nos carros alegóricos, que alcançavam até 70 metros e exibiram cachoeiras e fontes reais. Uma atração especial foi a presença da rainha de bateria mirim, de apenas 8 anos. 

Como um dos polos petroquímicos da América Latina, Paulínia ganhou da Vai-Vai alas do pretóleo e combustível, que representaram a importância da cidade no continente. A força da locomotiva na região também ganhou alegoria própria e desfilou pelo Anhembi. Uma ala performática representou o alto índice de poluição da cidade, como consequência dos avanços industriais. 

Saindo do mundo industrial, a escola também explorou os bens culturais da cidade. Um dos destaques mais surpreendentes foi a marionete "jogador de bocha", esporte comum em Paulínia, com mais de 10 metros de altura. Controlado por mais de 20 integrantes da escola, ela realizava os movimentos de lançamento da bola e abria os olhos. A escultura "O Pensador", do francês Rodin, foi destaque em um dos carros sobre a "arte viva".

Veja abaixo o samba-enredo da Vai-Vai:

"Nas chamas da Vai-Vai, 50 anos de Paulínia"
Autores: Vagner Almeida, Mineiro, Loirinho, Marcinho Z.Sul, Edinho Gome
Intérprete: Bruno Ribas

Sou preto e branco, meu manto tem tradição
Vem... a festa vai começar
Vai-Vai é a chama do samba
Que jamais se apagará

Resplandeceu...
Um novo dia com a quebra das correntes
Finda a exploração da cor
O negro cantou feliz
Mais uma bandeira se erguia
Na proclamação, democracia
Nos trilhos o progresso desse chão
Brotou na força da imigração
E assim nasceu no berço dessa pátria mãe gentil
Uma cidade de encantos mil
O povo pôde festejar... festejar!
Gigante polo industrial
Ao meu Brasil é fundamental
Na união, a miscigenação

Um brilho de luz clareia...
Reluz nessa “feliz-cidade”
O esporte é vida, saúde e paixão
É emoção...

Em cena a essência da arte
“Liberdade” na imaginação
Desperta o amor à cultura
Embala os sonhos de um novo amanhã
Na tela um filme revela quem está em cartaz
É a magia do cinema nacional
Paulínia... é ela!
A estrela do meu carnaval

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.